Área reservada

Esqueceu a sua palavra-passe? clique aqui

Cancelar

Registo de utilizador

Utentes

Registo de utente

Registo exclusivo para utentes das consultas de nutrição Good Diet.

Blog

Como acabar com a celulite?

Como acabar com a celulite?

A celulite corresponde à acumulação de gordura por baixo da pele e apresenta um aspeto irregular tipo “casca de laranja”. Sendo mais comum nas mulheres (cerca de 80% apresenta algum grau de celulite), esta pode afetar ambos os géneros. Levando a muito complexos por parte das mulheres e podendo mesmo afetar a sua autoestima, a celulite tende a ser mais evidente nas nádegas e coxas, mas pode também ser visível no peito, abdómen inferior e nos braços. Os fatores para o seu aparecimento são múltiplos:- Alimentação inadequada - rica em sal, açúcar e gordura;- Baixa ingestão de água;- Sedentarismo: a falta de exercício físico leva ao aumento da percentagem de gordura e diminuição da massa muscular (flacidez);- Problemas circulatórios: a má circulação dificulta a eliminação de líquidos e toxinas (devido ao retorno deficitário de sangue venoso), promovendo o aparecimento da celulite.- Desequilíbrios hormonais: as hormonas são a principal razão que faz com que a celulite afete tanto as mulheres. A puberdade, menopausa e gravidez ou ainda com o uso de métodos anticoncepcionais são fases com maior propensão para o seu aparecimento.- Genética: simplesmente há pessoas mais propensas que outras ao aparecimento de celulite; Tratar ou eliminar a celulite é uma tarefa complicada, mas não impossível, poderá exigir uma maior dedicação, foco e paciência, pois os resultados não são evidentes imediatamente. Comece por pôr em pratica algumas recomendações para se livrar da celulite:- Alimentação saudável: limite o consumo de gorduras, açúcares e sal, deixando-os para um dia de exceção. Aumente o consumo de alimentos ricos em antioxidantes e anti-inflamatórios (bagas de goji, frutos vermelhos, brócolos, kiwi, espinafres) que permitem uma maior eliminação de radicais livres e toxinas;- Exercício físico: opte por treinos que combinam exercício cardiovascular e de musculação, pois é essencial uma adequada “queima” de gordura, ao mesmo tempo que proporciona um aumento ou manutenção do músculo, tornando assim a pele mais tonificada.- Hidratação: a água ajuda a manter as células hidratadas, fazendo pressão para que a gordura não chegue à superfície da pele. Sendo essencial o consumo de 1,5L a 2L por dia, podendo ser acompanhada de drenantes que potenciam o processo de eliminação de toxinas de uma forma mais acelerada.- Tratamentos: podem ajudar a queimar gordura e livrar-se da celulite, nomeadamente: mesoterapia, drenagem linfática manual, pressoterapia, massagem modeladora ou carboxiterapia. Em casa também pode fazer uma massagem de uma forma circular com um creme adelgaçante. Estes tratamentos de uma forma isolada, não atenuam o problema. Se cumprir todos os pontos falados anteriormente, aí sim o resultado pode ser eficaz.Ainda que a celulite se possa dever a todos os factores nomeados, como a genética, não desista de lutar contra ela! Seguindo uma dieta alimentar equilibrada, praticando exercício físico e tendo outros cuidados, o sucesso é possível! Procure ajuda junto de um profissional especializado. A Good Diet pode ajudar, procure o nosso Serviço de Nutrição e comece já a luta contra a perda de peso! Contacte-nos: https://www.gooddiet.pt/contactos

Saber mais

A Vitamina do Sol

A Vitamina do Sol

Hoje comemora-se o Dia Internacional do Sol, data que visa prestigiar a nossa principal fonte de vida, a estrela mais próxima do planeta e a sua importância para a vida na terra. O Sol é a principal fonte de energia no mundo e, além disso, tem importantes benefícios para a saúde. Assim, hoje falamos sobre a importância da Vitamina D que é obtida, em parte, através do Sol. A vitamina D, tal como os demais nutrientes pode ser obtida através da alimentação e/ou suplementação. Mas esta vitamina é especial, pois é a única que pode ser obtida através da ação direta da luz do sol na nossa pele. É uma vitamina lipossolúvel, ou seja, é absorvida através das gorduras, sendo transportada do sistema linfático para o fígado, através das lipoproteínas e posteriormente armazenada. A Vitamina D apresenta imensos benefícios para a saúde, sendo fundamental para uma melhor absorção e fixação do cálcio nos ossos, bem como controlar os seus níveis no sangue. Além disso, permite um correto funcionamento dos músculos, nervos, coagulação sanguínea e melhora a função imunitária. As recomendações diárias para este micronutriente, segundo a OMS é de 5µg em crianças e adultos até aos 50 anos, grávidas e lactantes; 10 µg dos 51 aos 65 anos e 15 µg acima dos 66 anos. Há ainda outros fatores que interferem com a produção de vitamina D pela pele e que devem ser tidos em conta: uso de protetor solar, pigmentação da pele, percentagem de gordura, área de pele exposta, idade, latitude e momento do dia. De forma a garantir as doses diárias de Vitamina D, recomendamos:- Exposição ao sol da cara e braços de pelo menos 30 minutos diários;- Consumo de alimentos ricos neste nutriente, como por exemplo o óleo de fígado de bacalhau, peixes gordos, gema de ovo, lacticínios e cereais de pequeno-almoço fortificados. Quando as necessidades não são colmatadas com as duas estratégias anteriores é necessário repor através da toma de suplementos.Como em tudo, deve haver uma dose de Vitamina D normal, não excedendo as doses diárias recomendadas, bem como uma alimentação equilibrada e um estilo de vida saudável para promover uma melhor absorção. Feliz Dia do Sol!

Saber mais

Existe um tipo de treino ideal para perder peso?

Existe um tipo de treino ideal para perder peso?

Quando o objetivo é perder peso, é frequente prescrever-se um conjunto de exercícios compostos ou exercícios funcionais. Mas, na verdade, um exercício não tem apenas um objetivo, ou seja, não é só hipertrofia, perda de peso ou mobilidade. Para que possamos dizer que um exercício é o melhor para a perda de peso, temos de ter em conta todas as especificidades que o podem tornar mais eficaz Além disso, é importante perceber que um exercício pode ser muito bom para alguém em determinado momento e logo de seguida deixar de fazer o efeito desejado ou de fazer sentido no plano de treino. O melhor treino tem de ter em conta a anatomia e a fisiologia distinta de cada um. Assim sendo, a resposta à pergunta colocada no artigo de hoje é: “depende!”. Antes de prescrever qualquer exercício, temos sempre de responder a questões como: a quem se destina? Qual o objetivo? Qual a tolerância ao exercício? Qual a dose a aplicar? Não obstante e, de forma genérica, considero que para casos de perda de gordura deve ser privilegiado um trabalho de resistências, de forma a aumentar a massa magra. Isto é, realizar um trabalho em que se otimize todo o corpo com cargas ajustadas para promover um aumento cardiovascular e grande desgaste muscular. É claro que os exercícios de cardio que fazemos a meio de um treino (jumping jacks, burpees, mountain climbers, salto à corda, etc.) elevam o gasto calórico. O problema é que isso acontece naquele momento. Já o trabalho considerado de força – quer com o peso corporal quer com resistências externas, conduz ao aumento da massa muscular, que por sua vez auxilia eficazmente na diminuição da gordura corporal. Durante os treinos, devem ser treinados os grandes grupos musculares, com exercícios como agachamento ou extensão da coxa, duas opções que põem em ação grandes massas musculares e com um elevado gasto energético. Também não podemos deixar de lado os grandes grupos da parte superior do corpo, que poderão ser trabalhados através de chest press, lat pull down, pull over e flexões. Obviamente que o treino tem um papel fulcral no alcance de um objetivo tão difícil como o da perda de gordura, na medida em que dará um forte boost, mas nunca se esqueça: a melhor ação para a perda de gordura começa no prato, com uma alimentação adequada.

Saber mais

Treinos curtos e intensos: as vantagens

Treinos curtos e intensos: as vantagens

Se antes se assumia que quanto maior a duração do treino, mais eficaz ele era, agora já não é tanto assim. Na verdade o foco passou a ser a intensidade do treino e não somente a sua duração. O treino HIIT (High Intensity Interval Training) assume-se como o preferido e mais utilizado pelos praticantes de exercício físico. A grande vantagem do ‘HIIT’ é a alteração do metabolismo, isto é, ao praticar este tipo de treino o metabolismo acelera, forçando naturalmente a perda de calorias. Como o próprio nome indica, é um treino intervalado de alta intensidade, que se baseia em repetições de exercícios intensivos, seguidos por períodos de recuperação. Prevê-se que no tempo estimado de treino (5 a 8 minutos) se atinja uma intensidade entre os 80% e os 95% da frequência cardíaca máxima de cada praticante e na recuperação (que pode ser feita por períodos iguais) 40% a 50%. No total pode durar de 20 a 60 min. Os principais benefícios do treino de curta duração são:- Aumento da capacidade aérobia/anaeróbia: o corpo utiliza nutrientes como glicose, gordura e hidratos de carbono para produzir energia para o músculo, aumentando a capacidade aeróbia; além disso, também aumenta a resistência ao ácido lático, contribuindo para o aumento da capacidade anaeróbia;- Poupar tempo: cada vez dispomos de menos tempo para tudo, assim, com este tipo de treino, a “falta de tempo” deixa de ser desculpa.- Perda de peso: todos os exercícios libertam glicogénio dos músculos, mas os de alta intensidade fazem-no de forma mais rápida e efetiva, o que faz com que mesmo horas após o treino, o metabolismo continue ativo devido ao impacto que os exercícios têm no corpo, contribuindo assim para a perda de peso.- Melhora a tensão arterial.- Ajuda a regular os níveis de colesterol.- Desenvolve e mantém a massa muscular.- Pode e deve ser facilmente adaptado à individualidade de cada um. Como em qualquer situação, apesar de todos os benefícios, nem todos estarão aptos para o fazer. Deve sempre procurar um profissional da área e fazer os devidos testes previamente.

Saber mais

Conhece os benefícios do café?

Conhece os benefícios do café?

Por todo o mundo e Portugal não é exceção, o café é uma das bebidas preferidas da generalidade da população. Dependendo dos hábitos e culturas, ele pode ser consumido de inúmeras formas: com chicória, chocolate, gelo ou inúmeras receitas. A planta que dá origem ao café é originária da Etiópia, mas em 575 d.C. passa a ser cultivada pelos árabes, com o objetivo de a utilizarem na preparação de uma bebida.Fruto do cafeeiro apresenta cerca de 6000 espécies, com particularidades distintas no que se refere a sabor, acidez, teor de cafeína e valor nutricional. Das opções de plantas de café disponíveis as mais consumidas são:- Coffea robusta: caracterizada por um teor de cafeína mais elevado e um sabor forte; - Coffea Arábica: contém uma quantidade mínima de cafeína, mas apresenta um aroma intenso. Atualmente, as cápsulas de café são a evolução que tornou esta bebida mais original e com sabores exóticos, apreciado por quase todos. Nutricionalmente um café sem açúcar contém cerca de 4 Kcal, 75-100mg de cafeína, potássio, fósforo e magnésio e, além disso, é rico em antioxidante e polifenóis. Como benefícios para a saúde, a cafeína apresenta-se como um estimulante para o sistema nervoso central, aumentando o estado de alerta e níveis de energia, diminuindo a sensação de cansaço.O café apresenta ainda uma ação diurética, dilata as vias respiratórias e aumenta ligeiramente a tensão arterial, pelo que se deverá moderar a dose para pessoas que apresentem patologias do foro cardíaco e/ou renal.O consumo de 2 a 3 chávenas de café por dia não apresenta risco para a saúde, aliás, alguns estudos referem que tem um efeito protetor em algumas doenças (cardiovascular, diabetes, Alzheimer, Parkinson). Ainda assim, o consumo de cafeína pode criar habituação, bem como outros efeitos adversos, como ansiedade, taquicardia, insónia e irritabilidade. Caso não possa beber café por razões de saúde, existem alternativas que pode experimentar como cereais (cevada/chicória) e maca. Assim, beber café, desde que na medida certa, pode beneficiar a sua saúde!

Saber mais

Dicas para uma alimentação mais saudável

Dicas para uma alimentação mais saudável

A Organização Mundial de Saúde instituiu o dia Mundial da saúde (7 de Abril), com o principal objetivo de elucidar a população sobre a importância da proteção da saúde para manutenção de uma melhor qualidade de vida. No dia-a-dia, assistimos a um crescente aumento de pessoas com doenças como: obesidade, diabetes, cancro, hipertensão arterial, entre outras. E o facto de não apresentarmos uma patologia, não significa que estejamos 100% saudáveis.Um dos principais fatores responsáveis pelo aparecimento das doenças da “moda”, é uma alimentação desequilibrada, fator pela qual se deva apostar nela como prevenção. Além disso, para um bem-estar físico e mental é fundamental juntar ainda uma prática de exercício físico regular e um sono reparador.Fazer uma seleção adequada de alimentos saudáveis possibilita, não só a prevenção do aparecimento de doenças, como também fortalecer o organismo. E no nosso quotidiano conseguimos fazer escolhas que nos promovem saúde. Experimente por em prática as seguintes dicas:- Consumir alimentos dos vários grupos da roda dos alimentos de forma a obter nutrientes diferentes; - Eliminar bebidas açucaradas, snacks embalados e refeições pré cozinhadas; - Evitar gorduras saturadas da alimentação e optar por gorduras saudáveis (azeite, óleo de coco) em quantidades adequadas; - Trocar o sal por especiarias e ervas aromáticas, bem como o açúcar por adoçantes naturais (stevia, agave); - Beber 1,5L de água por dia de modo a haver uma regulação correta do organismo - Aprender a ler os rótulos: estar atento às calorias, gordura, açúcar e fibra; - Diminuir o consumo de hidratos de carbono em detrimento da proteína. Para ter saúde e uma melhor qualidade de vida, não basta só uma boa alimentação e exercício físico! Aprenda a relaxar, descansar e ser feliz!

Saber mais