Área reservada

Esqueceu a sua palavra-passe? clique aqui

Cancelar

Registo de utilizador

Utentes

Registo de utente

Registo exclusivo para utentes das consultas de nutrição Good Diet.

Blog

A Alimentação do atleta vegetariano

A Alimentação do atleta vegetariano

Uma dieta vegetariana traduz-se numa exclusão total ou parcial de carne e outros alimentos de origem animal, priorizando produtos vegetais como legumes, leguminosas, fruta e cereais/grãos, sendo esta dieta tão diversificada como as dietas convencionais. Ao contrário do que se pensou durante muitos anos, que o vegetarianismo e desporto eram incompatíveis, hoje em dia com maior conhecimento científico chegou-se à conclusão que existindo um bom plano alimentar e de suplementação, não existirão carências nutricionais, pelo que, desta forma, teremos bons níveis de resistência, força e performance. Prova de que ser vegetariano não impede de atingir o topo de rankings, são os diversos atletas conhecidos como, Lewis Halmilton, Carl Lewis, Scott Jurek, entre outros, que praticam uma dieta vegetariana e são referências na sua área desportiva. A grande diferença do atleta vegetariano para o “convencional” está no foco e na consciência das suas escolhas: o atleta vegetariano deve focar-se e ser mais consciente nas escolhas alimentares que toma, de forma a obter os níveis de energia, satisfazer as necessidades do corpo para uma boa recuperação e manter boas funções do sistema imunitário. Desta forma, é necessário ter em atenção os seguintes nutrientes, para que não existam défices: - Proteína: excluindo a maioria de produtos de origem animal, é essencial obter os aminoácidos essenciais através da junção de cereais e leguminosas. Sempre que as necessidades não são totais a partir destes alimentos, a suplementação com proteína vegetal é boa opção para complementar; - Vitamina B12: vitamina predominante em alimentos de origem animal, a sua carência deve ser suprida através do consumo de algas e suplementação de Vitamina B12; - Cálcio: excluindo os alimentos lácteos em algumas dietas vegetarianas, podemos criar défices de cálcio, pelo que se torna importante aumentar o consumo de vegetais de folha verde, bebidas vegetais/iogurtes vegetais ou outros alimentos enriquecidos neste mineral. Mais uma vez, a suplementação deverá ser avaliada de acordo com o consumo de cada atleta;  - Ferro: a quantidade de ferro na dieta de um vegetariano é igual à do omnívoro, apenas a sua absorção é menor. Desta forma, a suplementação deste mineral deve ser associada à Vitamina C, em suplemento ou alimento, de forma a aumentar a sua absorção. - Vitamina D: a carência desta vitamina poderá existir caso a exposição solar seja reduzida, podendo ser necessário o consumo de alimentos enriquecidos nesta vitamina e/ou recorrer a suplementação; - Zinco: a ingestão de zinco, em atletas vegetarianos é inferior aos restantes. Ainda assim, optando por uma dieta rica em nozes, sementes, cereais, grãos e complementar com um suplemento é o ideal para colmatar possíveis carências. A dieta vegetariana, tal como as restantes dietas, é uma opção válida para atingir uma boa performance desportiva. Necessita apenas de ser adequada a cada atleta e suas necessidades e ser monitorizada. 

Saber mais

Pizza: um alimento a incluir na dieta?

Pizza: um alimento a incluir na dieta?

Certamente muitos fãs de pizza que estão em “dieta” já se questionaram se poderão ou não inclui-las na alimentação. Este tipo de alimento está normalmente associado a grande riqueza de gordura saturada e/ou adição de alimentos processados, o que a leva a ser excluída do plano alimentar diário.Apesar de parecer uma opção de refeição a excluir num plano de perda de peso ou para quem segue uma alimentação saudável, na verdade Dieta e Pizza podem conjugar-se. O segredo está em optar por fazer pizzas caseiras e saudáveis, com escolha de ingredientes nutricionalmente equilibrados a uma dieta.  Experimente a nossa sugestão e comprove o quão deliciosa é esta pizza com ingredientes nutritivos:Ingredientes Base: - 2 a 3 batatas doces; - 100g de farinha de aveia; - 1 Colher de chá de bicarbonato de sódio; - Ervas aromáticas (a gosto); - Sal q.b. Topping: Molho de tomate, queijo parmesão, alcachofras, tomate cherry e manjericão q.b.Preparação: - Cozer a batata-doce em água a ferver. Esmagar e reservar; - Numa taça colocar a batata-doce a farinha de aveia, o bicarbonato de sódio, as ervas aromáticas e o sal. Misturar bem até formar uma bola com as mãos. - Espalhar a massa num tabuleiro forrado com papel vegetal e levar ao forno cerca de 15-20 minutos. - Retirar do forno e colocar o molho de tomate por cima, Juntar os restantes ingredientes (podem ser outros ao seu gosto). Levar ao forno até o queijo derreter. Como em todos os restantes alimentos, o segredo é a moderação. Bom apetite!

Saber mais

Detox de verão: como fazer de forma saudável?

Detox de verão: como fazer de forma saudável?

O tema "Detox" é, nos dias de hoje, muito abordado e conhecido, associado a emagrecimento, eliminação de toxinas, alimentação saudável ou até mesmo para uma melhoria do estado de saúde e qualidade de vida.Com o pensamento já em férias e sem tempo para eliminar os últimos quilinhos ou gorduras, vem a necessidade de fazer um detox para preparar o corpo de verão rapidamente. Quer fazer uma ementa detox mas não sabe como? Fique com estas sugestões de sumo detox para usar no pequeno-almoço ou snack durante o dia e uma opção de sopa para as refeições principais.SUMO DETOX Ingredientes: 200 ml de água 2 Folhas de couve 2 Lascas de gengibre 2 Folhas de hortelã 2 Fatias de abacaxi Canela q.bPreparação: - Lave e corte os ingredientes. - Triture todos os ingredientes até obter uma consistência homogénea e fluida. Beba o sumo na hora. SOPA DETOX Ingredientes: 1 Couve-flor pequena 1 Brócolo pequeno ½ Curgete pequena 2 Punhados de espinafres 4 Folhas de couve 1 Cebola 1 Dente de alho 2 Lascas de gengibre Sal q.b. 1 Colher de sopa de azeitePreparação: - Prepare todos os legumes. Lave-os e coloque numa panela, aos pedaços, cobertos por água. Tempere com sal a gosto. - Deixe cozinhar bem e reduza a puré. Coloque, por fim, uma colher de sopa de azeite. Apesar das dietas detox serem aliadas a uma perda de peso mais rápida ou quando há excessos alimentares, o segredo é manter uma alimentação equilibrada, hidratação correta, eliminar açúcares e gorduras saturadas, bem como praticar exercício físico regularmente.

Saber mais

Como preparar as melhores Saladas no Frasco

Como preparar as melhores Saladas no Frasco

O uso de saladas no frasco, estão a ganhar cada vez mais fãs e são, na realidade, opções de refeições saudáveis, leves, rápidas e fáceis de preparar.  Além disso, são apelativas não só aos olhos, mas também em sabor, permitindo usufruir de uma refeição saciante em qualquer local.De forma a garantir maior frescura dos alimentos, bem como enriquecer nutricionalmente a sua salada, a disposição dos ingredientes de uma forma ordenada requer alguma “sabedoria”. Veja todas as dicas que lhe apresentamos e obtenha a melhor salada de frasco: Para iniciar o processo, necessita de um frasco com tampa de forma a garantir que entre menos ar mantendo a qualidade e a frescura dos alimentos.O passo seguinte é dispor os alimentos certos em cada camada:1ª Camada – molho: coloque no fundo do frasco 1 a 2 colheres de molho ao seu gosto. As melhores opções a usar são o azeite, vinagre, molho pesto ou vinagrete, isto para ser considerada uma salada saudável. Deve ter em consideração que o molho não deve entrar em contacto com os legumes até ao momento de consumir para não “murchar”;2ª Camada – alimentos a marinar:  aqui poderá colocar todos os ingredientes mais pesados ou que necessite de marinar ou ainda os que possam estar em contacto com o molho que selecionou na 1ª camada. Algumas das opções consideradas saudáveis são: leguminosas (lentilhas, grão, feijão) ou legumes (cenoura, cebola, tomate cherry);3ª Camada – proteína : de acordo com os seus gostos e permissão na dieta, aqui as opções são inúmeras. Deixamos como principais sugestões: atum ao natural, frango desfiado, salmão fumado, cubos de tofu ou ovo.4ª Camada – alimentos húmidos e moles: todos os alimentos que necessitem de uma frescura extra e para que a salada fique mais nutritiva. Aqui poderá incluir alimentos como: abacate, milho, cogumelos, pepino ou fruta.5ª Camada – legumes folhosos: nesta última camada deverá colocar todos os ingredientes que deverão entrar em contacto com o molho apenas no momento de consumir a salada. Podendo optar por alface, espinafres, couve, entre outros legumes folhosos;No fim de colocar todas as camadas poderá optar por deixar algum alimento crocante, como é o caso de frutos secos ou sementes;Se necessitar de uma fonte de hidratos de carbono (arroz/massa/couscous/…) deverá colocar entre a 2ª e a 3ª camada.Depois de todo o processo concluído deve guardar num local frio e no momento de consumir, basta agitar bem o frasco para que tudo se misture. Ponha em prática todas estas dicas com a nossa sugestão de salada no frasco: Salada de frango, uvas e nozes:- 1ª Camada: no fundo do frasco coloque 3 colheres de sopa de molho vinagrete;- 2ª Camada coloque ervilhas e tomate cherry;- 3ª Camada: opte por colocar o frango desfiado, previamente cozido ou selado, temperado previamente com pimenta, limão e orégãos;- 4ª Camada: coloque uvas partidas em metades e pepino em fatias;- 5ª Camada: use os espinafres e alface como legume folhoso.Para terminar, coloque 3 nozes e 1 colher de sopa de sementes de chia. Feche hermeticamente o frasco e refrigere.

Saber mais

Substitutos do sal: alternativas mais saudáveis

Substitutos do sal: alternativas mais saudáveis

Hoje comemora-se o Dia Mundial da Hipertensão Arterial, um problema de saúde pública que afeta mais de 30% da população adulta em todo o mundo, sendo um dos principais fatores de risco para doenças cardiovasculares e uma das principais causas de mortalidade a nível mundial. Uma das principais causas para o desenvolvimento de Hipertensão Arterial é o consumo excessivo de sal, por isso, prevenir ou tratar a pressão alta com algumas estratégias alimentares é a melhor forma. Para ajudar a reduzir ou até mesmo eliminar o sal, e assim, prevenir ou tratar a hipertensão arterial, apresentamos-lhe algumas especiarias e ervas aromáticas que podem ser escolhas perfeitas para as suas refeições:Açafrão - ideal na preparação de caril, carne, queijos, arroz, massa, doces e chá;Alecrim - usar em carnes em especial borrego, vitela e porco;Alho - temperar carnes, peixe, saladas, pão, molhos e caldos;Cebolinho - temperar saladas, sopas, carne e peixes;Coentros - usar em assados, caril, sopas, saladas, peixes e marisco;Cravinho - ideal para carne, peixe, marinadas, doces e fruta;Gengibre - usar em caril, sopas, carne, bolachas e bolos caseiros, chá e molhos;Hortelã - ideal para temperar molhos para carne, sopa, salada e sumos de fruta naturais;Louro - temperar marinadas, sopas, estufados e carnes;Manjericão - usar em saladas, massa, carne, ovos (mexidos), molhos e sopa;Noz-Moscada - ideal para puré de batata ou legumes, molhos, sopas, bolachas ou bolos caseiros ou adicionar em bebidas;Orégãos - usar como tempero em saladas, carne, pizza, massa e sopas;Pimenta preta - temperar estufados, saladas, molhos, ovos e carne;Pimenta Caiena - ideal para caldos, carnes, peixes e estufados;Salsa - usar em sopas, saladas, carnes, peixes, legumes, molhos, ovos (mexidos/omelete).Tomilho - ideal para temperar carnes de caça, salsichas e molhos. Com a seleção de especiarias e ervas aromáticas que lhe apresentamos, poderá trazer de igual forma o sabor, a cor e, acima de tudo, a saúde aos seus cozinhados!Além disso, tanto as especiarias como as ervas aromáticas ao contrário do sal apresentam diversos benefícios para saúde, tais como: melhor digestão; prevenir infeções respiratórias e urinárias; reforçar o sistema imunitário; entre outros.

Saber mais

Conhece os benefícios do café?

Conhece os benefícios do café?

Por todo o mundo e Portugal não é exceção, o café é uma das bebidas preferidas da generalidade da população. Dependendo dos hábitos e culturas, ele pode ser consumido de inúmeras formas: com chicória, chocolate, gelo ou inúmeras receitas. A planta que dá origem ao café é originária da Etiópia, mas em 575 d.C. passa a ser cultivada pelos árabes, com o objetivo de a utilizarem na preparação de uma bebida.Fruto do cafeeiro apresenta cerca de 6000 espécies, com particularidades distintas no que se refere a sabor, acidez, teor de cafeína e valor nutricional. Das opções de plantas de café disponíveis as mais consumidas são:- Coffea robusta: caracterizada por um teor de cafeína mais elevado e um sabor forte; - Coffea Arábica: contém uma quantidade mínima de cafeína, mas apresenta um aroma intenso. Atualmente, as cápsulas de café são a evolução que tornou esta bebida mais original e com sabores exóticos, apreciado por quase todos. Nutricionalmente um café sem açúcar contém cerca de 4 Kcal, 75-100mg de cafeína, potássio, fósforo e magnésio e, além disso, é rico em antioxidante e polifenóis. Como benefícios para a saúde, a cafeína apresenta-se como um estimulante para o sistema nervoso central, aumentando o estado de alerta e níveis de energia, diminuindo a sensação de cansaço.O café apresenta ainda uma ação diurética, dilata as vias respiratórias e aumenta ligeiramente a tensão arterial, pelo que se deverá moderar a dose para pessoas que apresentem patologias do foro cardíaco e/ou renal.O consumo de 2 a 3 chávenas de café por dia não apresenta risco para a saúde, aliás, alguns estudos referem que tem um efeito protetor em algumas doenças (cardiovascular, diabetes, Alzheimer, Parkinson). Ainda assim, o consumo de cafeína pode criar habituação, bem como outros efeitos adversos, como ansiedade, taquicardia, insónia e irritabilidade. Caso não possa beber café por razões de saúde, existem alternativas que pode experimentar como cereais (cevada/chicória) e maca. Assim, beber café, desde que na medida certa, pode beneficiar a sua saúde!

Saber mais

Nutrição em cada fase da vida da Mulher

Nutrição em cada fase da vida da Mulher

Homens e mulheres apresentam necessidades distintas. Apesar das mulheres apresentarem uma maior esperança média de vida, têm maior propensão para doenças ao longo da vida. As mulheres, nas diversas etapas de vida, têm necessidades nutricionais diferentes e, biologicamente, têm necessidades específicas. Ter uma alimentação saudável é uma forma de cuidar da sua saúde. Fique a conhecer as necessidades nutricionais em cada fase da vida da mulher:Até os 30 anos: o metabolismo da mulher, nesta fase, é mais acelerado pelo que há maior facilidade na perda de peso, uma vez que o organismo responde facilmente às mudanças nos hábitos alimentares. Ainda assim não deve descuidar a alimentação nesta fase, incluindo legumes e alimentos ricos em fibra, diminuindo a quantidade de sal e açúcar, podendo cometer um “pecado” de vez em quando. Gravidez: a partir do 2º trimestre de gravidez a mulher necessita de ingerir mais calorias, para um bom desenvolvimento do bebé, bem como uma boa saúde da mulher. Assim, deve aumentar o consumo de alimentos ricos em:- ácido fólico (espinafre, feijão branco, frutos secos)- cálcio (brócolos, leite, iogurte)- ferro (fígado, carne de vitela, gema de ovo, leguminosas)- proteína (lacticínios, carne/peixe/ovos, leguminosas, frutos secos) Amamentação: nem sempre é tarefa fácil a perda de peso após a gravidez, pelo que a amamentação poderá ajudar nesta tarefa, uma vez que o corpo gasta mais calorias. Neste período, o aumento da ingestão de líquidos e uma alimentação equilibrada são fundamentais para a produção de leite materno e uma redução do peso da mulher. Alimentos ricos em fibra (frutas, legumes), proteína (carnes brancas, ovo, lacticínios), vitaminas e minerais e baixo teor de gordura são a estratégia para regular o apetite e diminuir o peso. Menopausa: o corpo da mulher, nesta fase, tem uma predisposição para aumentar o peso, colesterol, hipertensão, osteoporose, entre outros problemas de saúde, devido à alteração hormonal que está a ser vivida. O metabolismo fica mais lento com o aumentar da idade, pelo que deve haver uma diminuição das calorias ingeridas no dia-a-dia. Para contrariar este aumento, a prática de exercício físico, aumento do consumo de água, bem como uma alimentação saudável, são fundamentais para ajudar na gestão do peso. Além disso, tomar suplementos com vitamina D, Isoflavonas de soja e Ómegas, ajuda a atenuar os sintomas da menopausa, evitando perda mineral óssea. As mulheres são únicas! Hormonas, sistema reprodutivo, metabolismo e composição corporal são alguns dos fatores que as distinguem dos homens e que explicam a necessidade de uma alimentação diferente. Desta forma, aconselhamos todas as mulheres que se preocupam com a saúde, a cuidar da alimentação e principalmente que se sintam bem e felizes!

Saber mais

Como resistir aos doces?

Como resistir aos doces?

Seguramente já ouviu dizer que “comer é um dos prazeres da vida”… Certo é que comer, vai além do prazer, sendo uma necessidade, uma vez que os alimentos são o combustível para o nosso organismo.  A alimentação não deve ser restrita ao ponto de se privar totalmente do que mais gosta, contudo é importante controlar-se e fazer dos "excessos" situações pontuais. Adotar uma alimentação equilibrada e saudável poderá ser a solução para não fazer uma restrição alimentar severa. Este tipo de alimentação não é sinónimo de pratos sem sabor, aliás a diversidade é uma regra para que possa ter todos os nutrientes necessários para o organismo. Para conseguir resistir aos doces ficam algumas dicas simples:- Faça refeições intermédias: ficar muitas horas sem comer pode levar a que na refeição seguinte se coma mais e se escolham alimentos mais calóricos. - Escove os dentes: após as refeições deve escovar sempre os dentes. Pelas razões de higiene óbvias, mas porque este hábito leva a que a vontade de doces diminua ou desapareça. - Fique longe dos doces: nos locais onde habitualmente passa mais tempo, tente que os doces estejam fora do alcance da visão ou simplesmente não os tenha. - Ingira água: o consumo de água regular, dá uma sensação de estômago preenchido e é um regulador do organismo. - Coma lentamente: comer devagar durante as refeições e saborear os alimentos é a melhor estratégia para diminuir a sensação de fome, pois a informação de saciedade leva alguns segundos a chegar ao cérebro. - Consuma proteína: a proteína aumenta a saciedade, ajudando a resistir aos doces e outros alimentos menos ricos nutricionalmente. - Pratique exercício físico: o exercício físico está associado à libertação de serotonina (hormona responsável pela sensação de bem-estar) que é comum ao do consumo de doces. Além disso, diminui o estado de stress e de ansiedade que consecutivamente leva a uma menor compulsão alimentar. A estratégia não é cortar por completo os doces, mas sim, diminuir o consumo numa fase inicial e de uma forma gradual, para conseguir resultados a longo prazo. Poderá optar também por definir o dia da “asneira” (cheat meal) onde consome o seu doce preferido.

Saber mais

Alimentos afrodisíacos, apimente a sua relação!

Alimentos afrodisíacos, apimente a sua relação!

Alimentos afrodisíacos contêm nutrientes com propriedades estimulantes, que promovem a produção de hormonas sexuais, melhorando a libido e sensação de bem-estar, aumentando assim o apetite sexual de homens e mulheres. Os alimentos afrodisíacos podem ser consumidos individualmente ou adicionados a refeições do dia-a-dia. Se procura apimentar a sua relação, experimente estas sugestões:- Chocolate (rico em cacau): o cacau contem feniltilamina que produz dopamina, no cérebro bem como aumenta a produção de serotonina, hormona responsável pelas sensações de prazer e felicidade;- Morango: rico em vitamina C e potássio, melhora a circulação sanguínea e consequentemente o funcionamento sexual. A combinação do morango com o chocolate torna estes dois alimentos a junção perfeita;- Pimenta (malagueta): o composto químico (capsaicina) presente nas malaguetas, leva a uma melhor circulação sanguínea, a pimenta aumenta a temperatura corporal, e acelera os batimentos cardíacos;- Mel: rico em vitamina B, ajuda na produção de hormonas sexuais, aumentando assim o desejo;- Frutos Oleaginosos (amêndoa, amendoim): a amêndoa é rica em selénio, zinco e vitamina E, aumentando assim a produção de hormonas que estimulam o desejo sexual. O amendoim é rico em vitamina E, aumenta também o apetite sexual e aumenta a energia;- Gengibre: rico em potássio e magnésio, nutrientes que aumentam o fluxo sanguíneo, estimulando o desejo;- Aveia: aumenta o nível de testosterona e do aminoácido L-arginina, aumentando o desejo. Todos estes alimentos devem ser consumidos em maior quantidade para quem quer estimular o apetite sexual, ainda que não exista uma quantidade ideal. Para comemorar este Dia de S. Valentim, deixamos ainda uma sugestão de receita para um pequeno-almoço ou snack a dois:SMOOTHIE AFRODISÍACOIngredientes150 ml de bebida de aveia8 Morangos1 Lasca fina de gengibre;1 Pitada de pimenta caeina;1 Colher de chá de mel. Preparação:Prepare todos os ingredientes e coloque numa liquidificadora. Triture bem até ter uma mistura bem homogénea. Feliz Dia de São Valentim!

Saber mais

Alimentos termogénicos: aliados na perda de peso

Alimentos termogénicos: aliados na perda de peso

Emagrecer de forma saudável é reduzir o volume de gordura das células adiposas do corpo, tornando-o mais definido. A prática de atividade física regular é fundamental para conseguir queimar gordura corporal, mas alguns alimentos também podem atuar como aliados na batalha. Alimentos termogénicos são alimentos que têm a capacidade de aumentar a temperatura corporal, através do aumento do metabolismo basal. Isto é, aceleram o metabolismo de modo a que este gaste mais energia a repor valores normais de temperatura.Estes alimentos contêm normalmente compostos como catequinas, capsaicina, efedrina ou cafeína que são propriedades termogénicas comprovadas, ajudando na queima de gordura. Então podemos considerar os seguintes alimentos como termogénicos:- Pimenta;- Café;- Chá verde;- Gengibre;- Canela. Além destes alimentos termogénicos podemos considerar a proteína um nutriente termogénico, pois de todos os macronutrientes esta apresenta um efeito térmico mais elevado, logo obriga o nosso organismo a gastar mais energia na sua metabolização, levando assim ao gasto de gordura acumulada. Este macronutriente é também importante na perda de peso, pois ajuda na manutenção e/ou aumento da massa muscular, além disso melhora a sensação de saciedade.Uma alimentação equilibrada aliada á pratica regular de exercício físico continuam a ser o fator mais importante na perda de peso, aesar destes alimentos serem uma ajuda na perda de peso quando consumidos diariamente. Procure uma nutricionista Good Diet e obtenha um plano alimentar personalizado, que lhe permite emagrecer e queimar gordura com saúde. 

Saber mais

Como reduzir a fome à noite?

Como reduzir a fome à noite?

Estima-se que a síndrome da fome noturna esteja presente em 25% da população com excesso de peso. É considerada um transtorno do sono ou da alimentação, dependendo do estado de consciência da pessoa durante o episódio de fome compulsiva. Ocorre durante a noite, quando a pessoa se levanta e ingere grandes quantidades de comida sem controlo, optando sempre por alimentos calóricos (ricos em açúcar e/ou gordura). Este problema tem origem na alteração do ritmo circadiano ou outras razões, tais como:-Estados de ansiedade, nervosismo, frustração ou preocupação;-Alterações hormonais, nomeadamente no cortisol;-Poucas refeições durante o dia, ou baixas quantidades;-Má distribuição dos macronutrientes, nomeadamente hidratos de carbono e proteína;-Abundância de alimentos calóricos em casa;-Picos de insulina, o que provoca quebras de açúcar. Para diminuir a sensação de fome à noite, deve começar por mudar comportamentos (estilo de vida e alimentação). A par disso poderá necessitar de acompanhamento de um nutricionista e/ou psicólogo para ultrapassar este problema. Comece por fazer estas pequenas alterações e sinta a fome noturna a diminuir:- Regularize o sono e tente dormir pelo menos 6 a 8 horas por noite;-Evite qualquer fator que possa influenciar o sono, como ingestão de cafeina, exposição a luz azul, atividade física, entre outras situações antes de se deitar;-Evite alimentos de alta densidade calórica em casa (alimentos ricos em gordura e açúcar);-Consuma proteína (carne/peixe, leguminosas, ovo, lacticínios, etc) em todas as refeições;-Aumente o consumo de alimentos ricos em fibra (cerais integrais, legumes, sementes, leguminosas, etc) de modo a que a digestão e absorção sejam feitos lentamente;-Faça pequenas refeições ao longo do dia, evitando o aumento de fome no fim de dia (noite);-Inicie exercício físico regular e mantenha-se ativo. Pequenas mudanças no estilo de vida podem trazer grandes benefícios para a sua saúde!

Saber mais